Revisitando a História: O Clube Abolicionista de Canguçu

Foto: Acervo Desconhecido/Facebook

Revisitando a História

Passado a pouco o dia 20 de novembro, dia da “Consciência Negra”, procurei buscar algo que falasse sobre o tema, já que em Canguçu a escravidão foi uma realidade, bem como os quilombos, aldeamentos de escravos fugidos de seus senhores em busca de liberdade.

Segundo o Historiador Agostinho Mário Dalla Vecchia, em seu livro “Memórias da Escravidão”, as matas de Canguçu escondiam quilombos que abrigavam escravos fugitivos de toda a região.

Mas vamos a matéria que recolhi de um antigo jornal local , com certeza encontrado no Museu Municipal, infelizmente não registrei a fonte, mas irei a procura a fim de registra-la, porém, o conhecimento não se perde.

******
Cangussu, 13 de outubro

A 28 do passado, na casa da câmara, estando presentes muitos cavalheiros devotados a causa do abolicionismo e a banda de música Santa Rosa, procedeu-se a eleição da diretoria do clube emancipador, ficando assim composta:

Presidente: Bernardino Pinto Ribeiro,
Vice-Presidente: Júlio César da Luz,
Tesoureiro: Enéas Gonzaga Moreira,
1º Secretário: Antônio Manoel da Costa,
2º Secretário: Carlos da Costa Bandeira.
Procurador: Gregório Teixeira Lopes do Carmo.

Ás 4 horas da tarde do dia 5, efetuou-se a sessão de posse da diretoria, ante numerosa concorrência de abolicionistas e na presença de muitas famílias.

Depois de estar empossado o presidente do clube e ter agradecido a prova de consideração que lhe dispensavam, confiando-lhe um tão honroso cargo, apresentam-se a comissão de Exmas. Senhoras, que aceitando agradavelmente o convite que lhes fora dirigido, estavam todas dispostas a esforçar-se quanto possível lhes fosse para a pronta e completa extinção da escravidão nesta vila.

A Exma. Sra. Dona Túlia da Luz, que foi oradora da comissão acrescentou que tinham imensa satisfação em concorrer com os seus serviços em prol de tão santa causa, e que seu primeiro passo será garantir donativos para aplica-los à libertação de infelizes cativos. 

Depois de mais algumas palavras, todas recendendo entusiasmo, terminou a oradora sendo saudada por uma longa salva de palmas. Dessa comissão fazem parte, além da Srª Dona Túlia Cézar da Luz, as
Exmas . Srª Dona Pacífica Abreu, Gertrudes Jacundina, Feliciana Amélia Moreira, Theophila Amélia de Mattos e Adelaide Gonçalves do Carmo.

O presidente do clube agradeceu o louvável empenho da ilustre comissão e sobre esse assunto pronunciaram-se encomiasticamente os Srs. Martiniano Lafuente e Gregório do Carmo. A sessão esteve imponente, muito concorrendo para o seu brilhantismo o generoso concurso da sociedade musical Santa Rosa , que tocou bonitas peças de música.

Esta sociedade tem procedido de forma a merecer gerais simpatias por sua prestabilidade e devotamento à propaganda abolicionista, concorrendo sempre com a melhor boa vontade e louvável desinteresse.

Terminada a sessão, foram todos os presentes, precedidos da mesma banda musical assistir a inauguração dos melhoramentos da praça da Matriz. Ali recebidos pela comissão administrativa dos mesmos melhoramentos. 

Sr. Dr. Serafim Luiz de Abreu, Júlio Cezar da Luz e Alexandre Gaspar da Costa, e por entre entusiásticos clamores da população, o Sr. Serafim Abreu pronunciou um eloquente discurso e leu 14 cartas de liberdade concedidas sem ônus algum.

Ás 7 horas concluiu a festa, percorrendo as principais ruas as duas bandas musicais.”

Ainda registrado no mesmo jornal: “Contando 118 anos de idade, faleceu aqui, a preta Libânia, natural da África. Na presente época, poços terão a ventura de chegar a tal idade.”

 

 

 

SOBRE A COLUNISTA:: Miriam Zuleica Reyes Barbosa, formada em História pela Universidade Católica de Pelotas, é Professora da Rede Municipal e Acadêmica da ACANDHIS (Cadeira nº 6). Zuleica mantém em paralelo seu blog De Cangussú à Canguçu, Muitas Histórias.

Leia Também:

ads

Notícias Relacionadas

Revisitando a História: A Inauguração do Busto de Getúlio Vargas

Muitas vezes acostumamos ver as coisas sempre onde estão e nem nos perguntamos como ou ...

Revisitando a História: Como era viajar de Canguçu à Pelotas nos Anos 70

Foto: Acervo Desconhecido/Facebook Na agitação do dia a dia e com as inúmeras facilidades ...

Revisitando a História: A Semana da Pátria

Esta época é muito importante para nos fazer pensar no quanto é necessário o resgate ...

Revisitando a História: O surgimento do Monumento ao Colono

Você sabia? O monumento ao imigrante localizado na Praça Hilmar Nornberg Pinz foi idealizado e construído ...

Revisitando a História: Breve Resgate do Povo Pomerano em Canguçu

  O amigo Nilso Pinz inicia seu belo trabalho de pesquisa intitulado “Breve Resgate do ...